1 de fevereiro de 2021

Cecilia Grierson, pioneira da enfermagem na Argentina

Por: Soledad Schoenknecht, coordenadora nacional de enfermagem da FME Argentina

Soledad Schoenknecht, coordenadora nacional de enfermagem da FME Argentina

Até meados do século XIX, o cuidado e a atenção das pessoas doentes eram prestados pela Igreja Católica através de membros de suas ordens religiosas, sem nenhuma formação.

Foi somente em 1891, quando Cecilia Grierson fundou a primeira escola de enfermagem na América Latina, em Buenos Aires, que a história da enfermagem passou por uma grande transformação em nosso país.

Cecilia Grierson

Cecilia Grierson, filha de colonos escoceses e irlandeses, nasceu em 22 de novembro de 1859. Ela se formou como professora e depois passou a estudar medicina, obtendo seu doutorado em 1889. Naquela época, as mulheres não eram autorizadas a praticar medicina. Era uma tarefa reservada apenas aos homens.

Esta situação, longe de deter Cecília, inspirou-a a realizar seu sonho e a colocar em prática todo seu conhecimento de medicina, dando espaço para a educação formal da enfermagem.

Inspirada no modelo Florence Nightingale, estabeleceu o uso de uniformes para as enfermeiras, que mais tarde foi adotado pela maioria dos países latino-americanos.

Cecilia Grierson preparou manuais adequados para enfermeiras (mais didáticos que os textos europeus), considerando que a melhor maneira de proporcionar alívio para aqueles que sofrem é colocar ao seu lado pessoas compreensivas, afáveis e capacitadas que possam colaborar com o médico na luta para recuperar a saúde.

Em 1900, ela fundou o Conselho Nacional das Mulheres e a Associação Nacional de Obstetrícia. Dez anos depois, presidiu o Congresso Argentino de Mulheres Universitárias e se destacou na Comissão de Surdos-Mudos do Patronato da Infância e em diversos cargos e missões a ela confiados por autoridades.

Sua luta pelos direitos da mulher não se limitou ao campo médico. Na primeira década do século XX, Cecilia Grierson estendeu suas exigências aos direitos civis e políticos das mulheres e participou dos primeiros congressos feministas do país.

Ela escreveu numerosos livros e outras publicações sobre medicina, educação e diferentes tópicos

Cecilia Grierson também foi pintora, escultora e boa esportista. No final de sua vida, ela viveu na cidade de Los Cocos, em Córdoba, até sua morte em 10 de abril de 1934.

Diante dos tão grandes desafios que estamos enfrentando, recordamos com orgulho e emoção, as contribuições que esta grande mulher fez no campo da enfermagem e na valorização dos direitos das mulheres do país.